sábado, 27 de fevereiro de 2010

Por que o futuro da humanidade é assexuado


Baseado nos tempos "moderninhos" e sem barreiras sexuais que estamos vivendo, um dia um amigo me disse acreditar que o futuro da humanidade é bissexual. Ninguém será de ninguém, a orgia será generalizada, todos sairão com todos e o compromisso e o relacionamento sério serão apenas notas de rodapé de textos de antropologia e sexualidade, tal como as famosas alcoviteiras da era medieval. Eu, por outro lado, acredito exatamente no oposto : o futuro da humanidade é assexuado. E tenho vários argumentos para isso.

É fato que existem muitíssimo poucos tabus hoje em dia. Talvez, em nível sexual, não haja mais nenhum. A humanidade já viu de tudo - ou 99% de tudo, seja do pior ou do melhor. Hoje existe espaço para qualquer bizarrice em termos de relacionamento , basta você procurar no lugar certo (ou seria o errado?) . Então, discussões a respeito do assunto, que antes poderiam alarmar pessoas por dias e dias, hoje são escancaradas em telejornais às 20 h , horário em que crianças ainda estão acordadas, e só conseguem causar sono e tédio nas famílias. Ninguém se abala se a filha de 07 anos está vendo uma professora de pole dancing instruir as suas alunas na televisão. Ninguém se choca. O sexo virou rotina. Sexo, sexo, sexo.

O movimento feminista e o sexandthecityista também colaboraram para que qualquer erotismo se tornasse um perfeito enfado. Todas agora são muito loucas e fogosas e transam na posição origami psicodélico, é só você querer. Todas são beldades, também. O último Carnaval foi um ótimo exemplo para mostrar que hoje todas as mulheres têm silicone, todas são loiras, todas são malhadas , todas são bronzeadas e todas são "gostosas". Um exército de gostosas. Bundas e bundas que passam em frente a olhos masculinos bocejantes. Corpos e rostos todos iguais. Perdeu-se a individualidade do corpo: aquela em que uma tem o seio pequeno, outra os cabelos mais crespos, outra uma pele mais branca. Todas - e todos, já que a banalização corporal atingiu a classe masculina também - têm as mesmas curvas e os mesmos cabelos. O mesmo cérebro. A mesma conversa. Como disse um professor meu, hoje em dia todas são tão identicamente perfeitas que para ele a charmosa é aquele com um dente um pouquinho torto, a sexy é aquela com o cabelo crespo, a bonita é a com um corpo normal, e não masculinizado de tanta academia. Um exército de mulheres gasta quantias obscenas de dinheiro para tornar seu corpo cada mais libidonoso, mais ousado, mais desejável, mais sexy. Fico pensando se não é tedioso para um homem ir a uma festa e ver 90% das mulheres mostrando 95% das pernas e 100% do decote. Os seios deixam de ser o mistério a ser revelado e viram apenas uma carne cotidiana. Mais sexo, mais sexo, mais sexo.

As relações, por sua vez, tornam-se cada vez mais fúteis e efêmeras. Existe pouco interesse em manter um relacionamento sério e com sentimento. Mulheres , querendo ser modernas ou fingindo ser, afirmam que não querem nada além do sexo. Homens , aproveitando o espaço que as mulheres proporcionam, também não vêem razão para perder tempo com um relacionamento. Surgem relações de 2, 3 dias. Enjoa-se fácil. Namoros são terminados porque "ela não transava do jeito que eu queria" ou "ele não quer transar comigo todo dia". O sexo é a prioridade, e não o complemento do relacionamento. É ele, de novo. O sexo.

A obsessão pelo sexo tornou-se tão doentia que é difícil hoje em dia manter um papo decente e minimamente cerebrado com alguém por aí. É difícil encontrar uma pessoa do sexo oposto que realmente queira uma conversa desinteressada - porque muitas vezes, quando essa conversa ocorre, todos nós já sabemos qual é o interesse : é o sexo. É tremendamente complicado achar um único alguém que tenha um papo suficientemente culto e uma vida deliciosamente vivida para você voltar para casa e pensar "Puxa, como ele é interessante." Todos são iguais. Todos são a mesma genitália burra de sempre. Pênis burros e vaginas burras que vão a micaretas e fazem a mesma dança do "Oi tudo bem qual seu nome o que vc curte costuma sair quantos anos você tem " para se acasalarem, se despedirem e procurarem uma outra genitália burra com a qual possam acasalar. São conversas e pessoas tediosas que não me despertam o menor interesse. É doloroso olhar no calendário e pensar : "fazem tantos meses que não encontro alguém de valia". Aquele alguém que coloca um pingo de tinta vermelha em pilhas e pilhas de folhas em branco. Hoje as folhas brancas se acumulam. Elas gritam "SEXO!" cegamente, e nada mais conseguem enxergar.

É por isso tudo que acredito que o futuro da humanidade é assexuado. Assexuados célebres como Morrissey, Moby e o nosso querido Sheldon Cooper têm justificativas indiscutíveis dos benefícios do não-envolvimento com qualquer ser humano. Não sou partidária do assexualismo e ainda gosto de homens, e ainda estou interessada em relacionamento com eles. Mas é muito lógico e compreensível ser assexuado. Sex is overrated. Existem tantas coisas mais incríveis do que o sexo pelo sexo no mundo, por que raios ele deveria ser assim tão superhipervalorizado? É isso que defendem os assexuados. Eles não se interessam no sexo. Sexo é para os fracos. Apenas uma humanidade desesperada por prazeres carnais se entrega a eles, ao invés de se dedicar às artes, à ciência e a causas filantrópicas, de forma integral e voluntária. Os assexuados não são fracos assim.

Portanto, levando em conta o banho que levamos todos os dias de conversas sobre sexo, reclamações sobre sexo, programas sobre sexo, lingerie, camisinha, strip tease, como fazer seu homem enlouquecer na cama, como dominar sua mulher em 10 dias, como deixá-lo louco , como deixá-la subindo pelas paredes, e peitos siliconados, e bundas avantajadas, e requebro, e rebolation, e aumente seu pênis em 10 dias, e viagra, e himenoplastia, e isso e aquilo, etc e tal, continuamos atordoados de tanto sexo, sexo, sexo. Sentindo sono, sono, sono.

21 comentários:

Thadeu disse...

ha...até concordo, Paula, que a banalização do sexo tire o charme da coisa, mas daí a achar que o futuro é asexuado vai um longo caminho. Eu mesmo não tenho feito essas coisas, mas isso se deve mais à falta de oportunidade do que convicção anti-sexo. Inclusive, se alguém estiver a ler esse post, meu nome é thadeu, tenho 25 anos e sou do signo de libra...meu telefone é:

Paula disse...

Olha, esse meu texto não é porque eu estou revoltada com o sexo, relacionamento, ou coisas do gênero. Muito pelo contrário, eu tenho uma perspectiva otimista a respeito da minha vida.
Porém, eu acho que está tudo muito escancarado. Acho que as pessoas tendem a enjoar de tudo uma hora.

mari.portela disse...

Esse texto me deu vontade de trepar.


ahahaha, brinks, Paula!!! Te adoro amiga, achei seu texto incrível, apesar de não concordar com ele e... bem... entendo seu ponto de vista, mas acho que existem outras coisas a serem consideradas. Mas eu deixo meus argumentos para uma mesa de bar, ok?

=*

julesm disse...

Sim, o futuro assexual é radical, mas eu concordo contigo, paula! acho que as pessoas tão cada dia mais banais, mais superfluos, mas sem graças para eu perder meu tempo com eles...Sei que existem vários tipos de pessoas por aí, e talvez para a maioria não seje importante o que o carinha tenha na cabeça, mas eu acho ter sexo com pessoas sem cerebro meio insatistatorio...Mas espero que algum dia os cerebros voltem a funcionar, pq não fazer sexo também não dá :)

Danielle Chinaski disse...

Toca aqui, Paula!

Oriowo disse...

SEU TEXTO É GENIAL GENIAL XDDDDDDDDDDDDDDD. Gostei muito. Tá fazendo falta pessoas que pensam como você nesse mundo XD.

João Gabriel disse...

Não há mais tabus? Passe 15 min em um fórum de sexo japonês, acho que vai servir para você ter uma idéia mais abrangente de tabu.

E eu não acredito em um futuro em que a putaria role solta. Por mais que ocorram profundas mudanças culturais na nossa sociedade. Existe uma coisa chamada possessão, que é do ser humano. Você pode até querer sair se dando bem com quantas pessoas ver pela frente, mas seu namorado/namorada/conjuge/parceiro fixo dificilmente vai ter sua permissão pra isso.

Outra coisa a comentar é a questão da exposição do sexo. Cara, isso SEMPRE existiu. Sempre fomos uma raça sexual desgracenta. Em Esparta na grécia antiga, toda mulher após a menarca, recebia um escravo do Estado, que tinha a função de ensinar a garota a prática sexual, para antender o marido quando esta fosse mais velha e recebesse permissão pra casar. Uma novela da globo, perto de um escravo pirocudo não é NADA. "Putaria" é só uma herança cultural que a Igreja Católica deixou pra nós, ocidentais.

E por fim, a idéia de um futuro sem sexo cai por terra quando você considera que esses malditos assexuados devem até saber o que é uma trepada, mas não devem ter nem idéia do que é fazer sexo com alguém que você gosta. E convenhamos que o judeu maluco, em suas raras aventuras sexuais, se diverte MUITO mais do que o Sheldon se divertiu desde o início até o ponto em que a série se encontra.

/me chuta o pau da barraca e sai correndo

morganapersefone disse...

Isso é tudo culpa do Justin, Paula!

morganapersefone disse...

Agora falando sério, eu concordo com a sua crítica sobre tudo estar demais com relação ao sexo. Muita informação, muita empolgação, muita exposição... cansa. Não te empolga nem pra ter expectativa porque tudo é rápido, ou é ou não é, vai ou não vai... acho isso uma grande merda. Agora, que o presente caminhe pra um futuro assexuado, acredito que não. Antes de tudo, principalmente da razão, somos animais ponto

Paula disse...

Gente, eu acho que a assexualidade pode chegar a longo prazo. A curto prazo eu acredito na orgia generalizada, mas a longo prazo, daqui a uns 200, 300 anos, quem sabe? Alguém ia imaginar em 1800 que hoje ia ter PULSEIRINHA DO SEXO pra criança? As coisas podem se reverter de uma hora pra outra com uma velocidade impressionante... WHO KNOWS? Eu não sei, mas enfim... é um palpite!

Siegrfried disse...

Caracas...
Ainda bem que nao estarei vivo para ver esse mundo tao chato!
Quero mais eh fazer muita, mas muita sacanagem!

.ponto disse...

Oi Paula,

Acho que não é por ai. Para começar, os tabus ainda existem sim. Muitas são as moralidades que ainda rondam a todos ou, pelo menos, a muitos. Essa histeria sexual da qual somos alimentados todos os dias não passa de marketing, ou seja, sexo vende, e muito, mas não é não necessário que sejam informações qualitativas para isso. Basta ser sexo, e de preferência em quantidade, e pronto...vende. Gera IBOPE, atenção. Foucault falou que (como já diz um grande amigo meu ''não acredite em mim, procure por si mesma tbm. Se eu estiver errado me corrija) não há maneira melhor de ter controle sobre um certo assunto do que disseminando-o ao invés de reprimí-lo. Se vc o reprime, gera, em muitas pessoas, a vontade de descobrir o que à elas não é dito. Recorrerão às poucas fontes de informação sobre este assunto e, provavelmente, serão fontes qualitativas, afinal não são quantitativas. Agora, quando se espalha, quando se entrega informações sobre o mesmo assunto de mão beijada, as pessoas tendem a não correrem atrás para saber se realmente são informações válidas, pois assim vc as acomoda ,como bem querem, ou pelo menos, acredito eu, a grande parte de uma sociedade. Espalhe o que há de mais burro sobre um determinado assunto e pronto, vc controla a verdadeira profundidade dele em suas mãos.
Não acredito em um futuro assexuado, e sim em um futuro cada vez mais sexual, mas cabe a cada um seguir, ou não, um fluxo sexual estúpido e exacerbado, ou um fluxo de qualidade, de verdadeira compreensão sobre o sexo, ou pelo menos algo próximo a isso (vale lembrar que a verdade é singular para cada um, dividindo alguns aspectos similares entre alguns).
Quanto aos assexuados que vc citou, pegarei o Sheldon como exemplo, pois duvido que os outros dois não transem. O Sheldon não transa, acredito eu, pois tem um conhecimento sobre sexo (conhecimento à proposta de vida dele, ou seja, estritamente científica) que não cabe na proposta das outras pessoas ao seu redor. Coloca uma mulher tão bitolada quanto ele ao seu lado para ver não não vai rolar umas ''trepadinhas''. Sexo é natural, necessário. Podem existir exceções, afinal a individualidade está ai, mas acredito que reprimir uma necessidade, que é básica, gera acúmulo psicológicos e físicos negativos. Como uma panela de pressão, ou seja, uma hora, se não for aliviada, vai explodir. Ai te pergunto: vc prefere explodir (e vale fazer a analogia de que os estragos da explosão de uma panela de pressão não são nada agradáveis e, muitas vezes, deixam sequelas irreversíveis) ou se entender sexualmente, sem toda essa ''babaquisse'' que tentam nos empurrar goela à baixo todos os dias, afim de aliviar-se com qualidade e sem exageros? Aliás, não seria nem uma questão de aliviar-se, pois a idéia e não gerar a pressão interna, mas viver uma vida sexuada boa, e não histérica.
Caso a ''bíblia'' tenha te incomodado, peço desculpas, mas não pude resumir mais. Não sou um bom escritor ,rs!

zaquiticon disse...

FAIL hein
futuro assexuado. vai estudar biologia primero (variabilidade genetica, seleçao natural) e depois volta pra falar
fazer um blog pra escrever merda tem mais eh q tomar no cu

Carla disse...

CONCORDO PLENAMENTE com o texto.. Parabéns.

Anônimo disse...

x )

Muito interessante!
Texto fantástico!

Só que até o assexualismo dominar o mundo vai levar anos e anos... Acho que nem vou estar viva para ver isso.
Mas sou seguidora de Morrissey. Viva o assexualismo!

Anônimo disse...

Gostei muito do seu texto!
Eu acredito q com o passar dos anos vão haver os 2 extremos ao mesmo tempo, os assexuados e os libertinos.
Eu por exemplo me considero hetero mas ñ vejo o sexo como a coisa mais importante em minha vida (eu pessoalmente ñ sinto falta), tbm ñ acho q a falta ou a presença dele seja determinante de felicidade, afinal durante a vida nós temos momentos felizes ninguem consegue ser feliz o tempo inteiro.

Anônimo disse...

Muitos dizem que sexo é uma necessidade básica, certo. Só não entendo porque ESSA necessidade básica é tão explorada, tão enaltecida. "Cagar" é uma necessidade básica e nem por isso o ato de cagar é colocado em comerciais pra vender geladeiras, por ex [como é o sexo, aliás, colocado em tudo, como disseram acima, sexo vende].

"Se vc não fizer sexo, vc não é saudável, vc tem algum problema e precisa se tratar" [mesmo quem convive perfeitamente bem com a assexualidade].

Faço aqui um paralelo dos assexuais com os ateus: seja cristão, budista ou até satanista, mas acredite em alguma coisa; seja hetero, homo ou bi, mas seja alguma coisa.

É a sociedade ditando como devemos ser, dando pitaco em tudo quanto é coisa na nossa vida, pra variar.

Maya disse...

Gostei do seu texto Paula, tem tudo a ver sim!

Anônimo disse...

Texto muito bem posicionado e muito escrito. A sua reflexão em relação a sexualidade ficou fantástica! Os pontos de vista do Morrissey e do Sheldon são excelentes, porém tenho minhas dúvidas e alguns receios em relação à isso, mesmo do ponto de vista da questão biológica da coisa, de qualquer forma continuarei a pesquisar!

Abraços!

obs.: pessoas que não praticam sexo não são denominadas de assexuadas, são assexuais. Chamar alguém que não pratica sexo de assexuado é a mesma coisa de chamar um heterossexual de hereterossexuado ou um homossexual de homossexuado.

Anônimo disse...

Uma das coisas mais idiotas que já li na vida. Parabéns, porque é difícil conseguir isso na Internet, especialmente em um blog.

Sexo e comida são as coisas mais básicas e essenciais do ser humano.

Anônimo disse...

O que existe cada vez mais é indiferentismo e o vazio das pessoas. Seja de uma pessoa "assexuada" ou uma pessoa que tenha muitas experiencias sexuais,só existe o vazio..tudo vai se tornando superficial e artificializado: aquilo que ele come, relacionamentos etc.
se tiver interesse veja o video "antropoteismo: a religião do homem"e o texto.. http://www.montfort.org.br/index.php/blog/artigos-da-montfort/tristeza-moderna-e-a-acidia-medieval-2/